Filipe Saraiva's blog

Tecnologia, sociedade e política.

copie – Licença do Partido Pirata

with 3 comments

O Partido Pirata no Brasil, já a algum tempo, lançou uma licença chamada copie – própria para publicação do material do coletivo/partido. A idéia é que a mesma possa ser utilizada por todos os criadores de conteúdo que queiram que seus bens culturais sigam uma licença mais permissiva.

Pelo fato da permissão de comercialização, a licença está mais próxima do copyleft do que do anti-copyright. Esse debate tem tomado minhas reflexões nestes últimos dias, de forma que acho que irei escrever um pouco mais sobre ele – mas apenas depois de escrever sobre o III ENSL 😉

Segue o logo do copie e as “leis que o regem”:

1. Condições para o uso:

COPIE e passe para a frente.

2. Condições para a distribuição, reprodução e derivação

Todas imagináveis e as não imagináveis.

3. Quando isto vai ser considerado “propriedade intelectual”?

SEMPRE, e isso NUNCA vai valer.

4. Sobre o uso comercial e não-comercial da obra

COMERCIALIZE, se achar alguém disposto à pagar.

5. Atribuição

Você deve dar crédito ao autor original, SE QUISER.

6. Limitação de responsabilidade

Não somos responsáveis por suas atitudes, você já está bem grandinho(a) para saber o que está fazendo.

7. Terminação

A licença é PERPÉTUA ENQUANTO DURE.

8. Casos omissos

Serão julgados pela autoridade espiritual competente.

Written by Filipe Saraiva

junho 4th, 2009 at 2:16 pm

3 Responses to “copie – Licença do Partido Pirata”

  1. Aracele disse:

    Esse debate tem tomado minhas reflexões nestes últimos dias.
    A mim também, sobretudo depois de descobrir que confusões com esses conceitos e filosofias são muito fáceis de acontecer, até pra alguém que se julga minimamente conhecedor do tema. Há muito o que se estudar pra poder fugir de leituras superficiais e senso comum. Vou acompanhar tuas discussões, acho que destrinchar esses temas é necessário, torná-los mais populares e mais compreensíveis.

    beijocas, nêgo.

  2. Estevão disse:

    4. Sobre o uso comercial e não-comercial da obra

    COMERCIALIZE, se achar alguém disposto à pagar.

    5. Atribuição

    Você deve dar crédito ao autor original, SE QUISER.

    sou a favor do livre tráfego de informações, mas não concordo com arte sem autor e não gostaria que utilizassem algo meu atribuindo para si a autoria. isso ja pé picaretagem e burla todo um espirito de compartilhamento livre, ja que, acredito, é a propria ideia do alcance da minha obra que me impulsiona a compartilhar livremente, e não a hipotese de que alguem tome deliberadamente meu trabalho, pelo qual desejo no minimo algum reconhecimento. tambem não gostaria que ganhassem dinheiro com isso, ja que não é finalidade do compartilhamento. se não compo~e nada, faça outra coisa. acho que ta forçando a barra. copiem, mas não tirem meu nome de la…

  3. Filipe Saraiva disse:

    Pois é Estevão, de fato a maioria das pessoas do movimento pró-Cultura Livre tem a mesma opinião de você.

    Mas existe uma ala diferenciada que contesta até a função-autor de uma obra. Essa parcela já foi maior na época das vanguardas artísticas pós-contracultura, mas elas ainda existem, e recentemente tem ganho força com as possibilidades da Cultura do remix.

    O movimento está aí. Se ele é "correto" ou não, é um outro questionamento – e bastante subjetivo, até.

Leave a Reply