Debate sobre plágio e propriedade intelectual

O aparecimento da Internet trouxe vantagens no que diz respeito ao acesso à informação. Para estudantes universitários que estão em fase de conclusão de curso ou na pós-graduação, a Internet é instrumento importante para o desenvolvimento dos trabalhos científicos, devido à multiplicidade de fontes que ela oferece.” – Fernanda Dino


No dia 19 de julho, participei de um programa de rádio sobre plágio na UFPI. A administração superior tratou de promover um curso para capacitar professores a identificar “plágio” em trabalhos acadêmicos. A idéia é que alguns estudantes se utilizam da Internet para simplesmente darem um “ctrl + c, ctrl + v” em um texto e entregar ao professor como se o trabalho fosse seu.

Essa política de terrorismo acabou por soar negativamente para a sociedade. Pareceu que todo mundo fazia isso – quando a própria reitoria colocou apenas 4 casos desse tipo, todos nessas pós-graduações do tipo “especialização”.


Fui então convidado a debater o tema no programa Painel da Cidade, do radialista Joel Silva, na Radio Pioneira. Estava presente eu, o pró-reitor de Ensino e Graduação Newton Freitas, e o advogado Gilberto Ferreira. A discussão acabou por se focar em como a cibercultura está alterando o conceito de propriedade intelectual – e como a academia está distante de conviver com essa situação.

Você pode ouvir os audios do programa aqui. Alguns estão com pequenas falhas, mas vale a pena a ouvida. Gostaria de agradecer à jornalista Sanmya, por ter feito o convite e ter conseguido os audios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.