ROSA – um curta-metragem cyberpunk

Rosa é um curta-metragem animado de temática cyberpunk, criado inteiramente por apenas um herói, o espanhol Jesús Orellana, durante um ano.

Jesús também inovou quanto ao lançamento de seu trabalho: disponibilizou-o na internet, livre para quem queira assistir. O filme já foi exibido em vários festivais e sua qualidade chamou a atenção da indústria. O autor está avaliando as possibilidades, e cogita expandir o universo do curta em um filme longa-metragem em live action… bem, eu torço para que ele consiga fazer um filme maior utilizando computação gráfica mesmo!

Se de forma independente ele conseguiu fazer uma animação bela e interessante, fico imaginando caso ele tenha o aporte financeiro necessário para um trabalho maior – claro, imaginando também que os investidores lhe darão liberdades criativas totais.

Uma questão técnica bem interessante para mim e a maior parte dos frequentadores do blog é que Jesús utilizou Blender em algumas etapas da produção, como modelagem e texturas. Excelente notícia, isso mostra que Blender é sim uma alternativa cada vez mais sólida para produção de animações.

Neste link você encontra uma entrevista com Jesús, e aqui a home do filme.

E abaixo, o vídeo! Divirtam-se. ;)

Maio, nosso Maio

Hoje comemoramos o dia do trabalhador – e não o dia do trabalho -, uma data marcada por lutas sociais que emergem da situação pela qual passam os trabalhadores do mundo, situados num sistema onde sua produção enriquece o patrão, e apenas uma ínfima parte do seu esforço mensal é revestida a seu interesse.

O capitalismo pode ter mudado no decorrer do tempo, tornou-se mais maleável, a situação do proletário hoje não é a mesma daquela vista durante a emergência da revolução industrial. Entretanto, a máxima do parágrafo anterior continua a valer sem qualquer alteração.

Apesar da imutabilidade do cerne do sistema capitalista, a grande parte dos trabalhadores hoje pouco fazem o enfrentamento político/social de importância histórica do movimento operário. Ao contrário, o que vemos hoje são os sindicatos atrelados aos governos, aos partidos ou aos patrões, alienando os demais trabalhadores através da cooptação das lideranças sindicais. A maior “manifestação” dos operários no dia do trabalhador, hoje, tem seu auge nas grandes festas e bingos das centrais sindicais na Av. Paulista.

É neste contexto que o curta animado “Maio, nosso Maio“, produzido pelo farid da gunga (grupo que trabalha a produção nos ideais da economia solidária), vem em boa hora. O curta, todo produzido utilizando software livre, rememora a importância histórica do movimento operário, o que significa o dia do trabalhador, como ele surgiu.

Ao fazer isto, o video apresenta o grande distanciamento que é parte do movimento operário hoje e o que ele significou/representou em seu nascimento.

Sem mais delongas, curtam bastante o curta:

Maio, Nosso Maio from farid on Vimeo.

Feita com Software Livre e em um processo coletivo, a animação “Maio Nosso Maio” apresenta de forma leve e compromissada uma leitura histórica que resgata o sentido original do Dia dos Trabalhadores.

Para quem estiver mais interessado no tema, sugiro também o texto do meu amigo Salathyel, postado aqui anos atrás: Dia do Trabalho Não! Dia do Trabalhador!

O Capitão Anti-copyright

Seu poder nada secreto é…

…infringir a maior quantidade possível de copyright!
Brincadeiras a parte, a imagem acima é o Amazing Copyright Infringement Man, uma paródia criada para a revista MAD pelo artista dos quadrinhos Jim Lee (fonte aqui no cache do Google).
E aí, quais heróis ou heroínas você consegue identificar que foram homenagead@s nesta imagem?
Dica do @xicofelipe

Animação que utilizou Blender foi indicada ao Oscar 2010

Notícia tarda mas não falha. E que pena que ela passou despercebida durante estes meses, heim?

A animação The Secret of Kells foi indicada ao Oscar de 2010 de Melhor Animação. A história é sobre um menino em busca do famoso Livro de Kells, também conhecido como Grande Evangeliário de São Columba.

Segue abaixo o trailer:

O legal para a comunidade de software livre é que algumas das cenas foram feitas utilizando o software Blender, conhecida ferramenta livre para modelagem e criação em computação gráfica.

Fica então a dica para você falar para aquele seu amigo artista que reclama de ferramentas não-proprietárias: temos software livre bom sendo usado em produções que concorrem ao Oscar!

E cabe aqui, ao final deste texto, uma crítica: que pena que essa notícia chegou a nós apenas agora. Um pouco mais de divulgação na época da corrida pelo Oscar teria dado uma maior visibilidade ao Blender.