Filipe Saraiva's blog

Tecnologia, sociedade e política.

Procurando recomendações de “distros KDE”

with 9 comments

Sou usuário e empacotador do Mageia desde o lançamento do fork, e não me levem a mal, para mim continua sendo uma distribuição de excelente qualidade para o seu propósito: comunitária, aberta para as mais diferentes contribuições e com ênfase na estabilidade. Mageia é das poucas distros com suporte há mais de 8 ambientes desktop (sem contar os gerenciadores de janelas leve), e com o lançamento da versão 6 passou a ter suporte ao AppImage, Fedora Copr, Open Build Service, dnf, e muito mais tecnologias que dão uma cara moderna para o projeto. Uso Mageia nos meus computadores pessoais e de trabalho e também nos computadores que meus alunos utilizam no laboratório.

Como desenvolvedor tanto do KDE quanto do Mageia, utilizo a versão instável da distro (chamada Cauldron) desde sempre. Ela me entrega as versões mais recentes da “pilha KDE” (KDE Plasma, Applications e Frameworks) e também do Qt. No geral funciona bem, mas volta e meia alguns software importantes deixam de funcionar ou ficam muito instáveis, prejudicando o desenvolvimento de algumas tarefas.

Antigamente isso não era um problema para mim – mesmo sendo estudante de mestrado ou doutorado, eu normalmente aguardava algum desenvolvedor corrigir os erros ou eu mesmo ia lá e metia a mão pra tentar solucionar. Essa é uma forma muito efetiva de contribuir com software livre.

Mas hoje em dia tenho pouca disposição para tanto. O trabalho como professor, somado às outras coisas a que me dedico, exaurem meu tempo para realizar esse tipo de tarefa.

Passar a utilizar o Mageia estável não é uma boa opção: o preço da estabilidade é ter um sistema com versões antigas dos software. Por exemplo, o Mageia 6 ainda utiliza o Plasma 5.8, enquanto o Cauldron tem o 5.12. Infelizmente, meu caso de uso mudou e as opções que o Mageia dispõe não casam muito bem com ele. Até propus um projeto não-oficial de construir os software mais recentes do KDE para a versão estável do Mageia, mas estou esperando um retorno do time de empacotadores da distro para ver o que eles acham (pois é, parágrafos cima eu disse que estava sem tempo e vejam só, estou propondo um novo projeto aqui :D).

Gostaria, portanto, de ouvir o pessoal sobre opções de distros que utilizam os software do KDE que atendam ao seguinte caso de uso:

  • Ser estável em seus componentes base (kernel, xorg, etc);
  • Ter a pilha KDE no modelo rolling release;
  • Ter opções relativamente amplas para software não Qt.

Na verdade eu já fiz uma pesquisa assim e há várias opções disponíveis. Por exemplo, o próprio KDE tem o projeto neon, que faz o caso de uso descrito acima tendo o Ubuntu como base. Há também o OpenSUSE com os repositórios Argon/Krypton, e mesmo distros específicas nesse modelo, como o KaOS e o Chakra. Inclusive isso vai render outro post sobre essas distros.

Minha principal dúvida é sobre a estabilidade e experiência de uso desses projetos. Se você usa algum deles, ou mesmo conhece outro não citado, coloque aí nos comentários para que embase minha decisão de migrar para outra distro (ou não).

Written by Filipe Saraiva

março 11th, 2018 at 4:04 pm

9 Responses to “Procurando recomendações de “distros KDE””

  1. Winston disse:

    Eu uso Chakra. Faz algum tempo que eu não acredito mais conseguirei encontrar um Rolling Release “estável”.
    Um exemplo: na última semana teve uma atualização e agora não consigo mais usar o menu.
    Vou acompanhar essa série e, de repente, posso descubrir que isso é possível.

  2. wellington disse:

    Eu uso o solus kde está em desenvolvimento
    Mas entrega tudo q preciso, os bugs q tem são do proprio kde mas nada grave… Gostando muito aq

  3. Leonardo José disse:

    Eu uso o Manjaro com KDE e acho muito bom. É baseado no Arch e atualiza os pacotes mais rapidamente que o Chakra

    • Pois é, depois de escrever o post eu peguei mais infos sobre o Manjaro e parece que ele se adequa bem ao meu caso de uso. Acabei instalando ele, tô dando uma chance e até o momento tá bacana. 🙂

  4. Henrique Sant'Anna disse:

    Troquei do Chakra para o Arch por causa do aur, o repositório aberto aos usuários. O Chakra tem o ccr que até é bom, mas nada se compara ao aur. Fora isso o Chakra é ótimo e herda do Arch boas características.
    No mais o Arch não é instável como eu imaginava antes de usá-lo. Tem uns anos já e nunca tinha quebrado nada aqui, até que no final de 2017 uma atualização do pacote de firmwares do kernel deu problema no meu wifi Intel. mas um comando com pacman para voltar o pacote para a versão anterior resolveu o problema, e isso foi o pior que já passei.
    No Chakra uma vez eles mudaram drasticamente o gerenciador de pacotes e quebrou tudo, só depois que descobri que tinha que seguir um tutorial para concluir aquela atualização. E pelo que sei a comunidade Chakra está interessada em passar a usar um novo sistema de gerenciamento de pacotes, estão desenvolvendo para abandonar o pacman.

  5. Denis disse:

    Sucesso na sua busca, iria te recomendar o Arch Linux, mas já vi que mencionaram o Manjaro que acredito que vai atender mais ainda.

  6. Hélder Ricardo Pereira disse:

    Não há dúvida de que opensuse é uma marca seria e segura mas em versões estáveis funciona como o mageia, julgo que estão na versão 5.9 do KDE. Mas disponibilizando a versão mais recente para devusers. O próprio KDE está muito melhor. É extremamente estável mesmo na versão devusers. No entanto tem duas versões devusers, a estável e a instável. Ou seja, tem 3 fases de implementação de atualização estável. Uma dev, uma dev mas para testing e últimos arranjos e a versão oficial estável para utilizador não dev. No entanto eu uso a versão estavel e nunca espero muito para receber as novidades e todo o software mais recente. Mesmo em computadores mais antigos ele é muito rápido e gere muito bem os recursos da máquina, é impressionante. Pena ser Ubuntu based. Debian, é sempre mais rápido e mais seguro, mas estou muito feliz com o suporte rápido e as actualizações que chegam sempre antes do que para outras distribuições. O Kaos é excelente mas… acho que gere mal a Bios e o Boot loader, é complicado não ter problemas com o dual boot, mas realmente tem as últimas novidades rapidinho e uma costumization muito boa.

  7. Zézinho disse:

    É bom notar que a Mageia estável tem agora KDE 5.12. Desde Janeiro no media de teste ( updates_testing ) e daqui pouco nas actualizaçoes normais.

    Nao foi fácil porque temos muitas dependências fortes, foi preciso passar para o QT 5.6.4, reconstruir LxQT, novas versoes do Digikam e do Skrooge, etc.

  8. Eduardo disse:

    Filipe. Disculpa que escriba en español. Mi portugués es malo.

    Recomiendo Slackware64-current. Muy simple de mantener y muy fácil a pesar de que parezca lo contrario. Muy rápida y estable.

    AlienBob (Eric Hameelers) produce una distribución muy completa y actual de Plasma para Slackware64-current:

    https://slackware.nl/alien-kde/current/latest/

Leave a Reply