Filipe Saraiva's blog

Tecnologia, sociedade e política.

Software Livre vs Software Pirata – Entrevista com o Jornal Meio Norte, Parte 2

without comments

Dando continuidade a publicação da entrevista que concedi ao Jornal Meio Norte, segue a parte final da mesma. Como já explicado, a mesma não foi publicada no jornal mas, como é um assunto de interesse da comunidade deste blog, resolvi colocá-la aqui. As perguntas foram conduzidas por Luana Sena.

E em especial pra galera do Piauí, ao final eu falo sobre a Associação Piauiense de Software Livre – APISOL e o Projeto Software Livre – PiauíPSL-PI.

“Tux Sparrow” – não, software livre não é software pirata!


Segue:

4) Os softwares livres estão ganhando espaço? Por que lutar por isso? Quais as vantagens?
A comunidade de software livre já vem se desenvolvendo nas últimas duas décadas e o software que produzimos está seguindo o mesmo ritmo. Nossa história ainda é curta, mas já conquistamos muitas vitórias.

Em especial, já podemos hoje contar com um sistema operacional completo, totalmente livre, que atende às demandas dos usuários. Navegadores, editores de texto, planilhas, software para apresentações, reprodutores multimidia, servidores… já temos a disposição várias dessas ferramentas que atendem aos mais variados gostos.

E apoiar o desenvolvimento de software livre traz muitas coisas boas. Por exemplo, nós poderemos garantir que o desenvolvimento de formatos abertos será fortalecido. Pense na web e os diferentes dispositivos e sistemas operacionais utilizados para acessá-la. Já imaginou se, por exemplo, um determinado site só toca-se música em um navegador e não em outro? Ou um site que só abriria no computador e não em notebooks? Certamente teríamos um ambiente contrário à colaboração e à circulação da informação da maneira como conhecemos hoje. Então, apoiar o desenvolvimento de padrões abertos tem uma consequência importante para a questão do desenvolvimento e da distribuição da cultura humana.

Também software livre dispõe de importantes ferramentas para a inclusão digital. O modelo de negócios de software livre permite que mais telecentros sejam construídos e barateia o preço dos computadores. Em adição, com a disponibilização do código-fonte, todos os interessados podem estudar e contribuir com o programa, tornando-o mais robusto, com mais funcionalidades e mais seguro. Isso ainda desloca o modelo de negócios das empresas de software, pois o mesmo é sai do produto (o “software de caixinha”) para o serviço (prestação de serviços de TI). Lugares com pouco desenvolvimento tecnológico só ganham com a adoção de software livre pois isso garantirá a circulação financeira naquela região, não tendo que exportar divisas para os países com grandes empresas dessa área.

Finalizando, você estará usando um software que permitirá o desenvolvimento de toda uma cadeia de produção e distribuição que só tende a crescer – ao contrário do software proprietário onde o código-fonte não é disponibilizado e as empresas aprisionam todo o conhecimento utilizado sem distribuí-lo a ninguém.

5) Como as pessoas fazem pra conseguir programas piratas? Há alguma fiscalização rigorosa em relação a isso?

Acho que respondi essa no 3). 😉

6) Falar sobre a Associação Piauiense de Software Livre e o Projeto Software Livre.
Bem, a Associação Piauiense de Software Livre (APISOL) é uma entidade sem fins lucrativos que reúne um número de usuários, desenvolvedores e demais entusiastas de software livre no Piauí afim de disseminar esse conceito para empresas, universidades, governos e mais instituições. Queremos que mais piauienses conheçam, usem e contribuam com software livre e percebam todo o impacto que esse modelo está gerando, seja no próprio desenvolvimento de software, seja na distribuição de cultura, seja na educação e mais. Para tanto, organizamos eventos como o “FLISOL” (Festival Latino-americano de Instalação de Software Livre) onde as pessoas levam seus computadores e saem com softwares livres instalados nos mesmos; “Software Freedom Day”, evento com várias palestras sobre tecnologias livres, palestras em universidades, e mais.

Já o Projeto Software Livre – Piauí (PSL-PI) é uma rede de usuários e desenvolvedores de software livre no estado. É um ramo do Projeto Software Livre – Brasil, a rede nacional. No PSL-PI temos vários membros espalhados pelo estado que discutem e difundem o software livre em seus locais de trabalho, salas de aula, telecentros e mais. O PSL-PI participa da organização de alguns eventos tanto no estado quanto na região nordeste.

Para maiores detalhes, eu convido os amigos e amigas a entrarem no nosso site, www.psl-pi.org onde lá você terá mais algumas ideias dos grupos de software livre do estado. Também o planeta.psl-pi.org é um lugar legal que agrega posts de blogs de vários membros da comunidade piauiense de software livre, onde você poderá obter conhecer o que está rolando no estado agora.

Leave a Reply