2º dia do II Encontro Nordestino de Software Livre

O segundo dia do encontro começou com começou com duas oficinas pela parte da manhã: “LDAP – trabalhando com árvore de diretórios” e a tão esperada “II Olimpíada de Robótica Livre”, que teve suas vagas rapidamente preenchidas. Porém, ainda tinha muitas outras atividades acontecendo nos auditórios.

Me dirigi à mostra do GNOME 2.20 – ele trará bastante novidades, principalmente no que tange à usabilidade e internacionalização. Funções como leitura da caixa de e-mail utilizando apenas a tecla “espaço” – no Evolution – e possibilidade de utilização de alfabetos escritos da direita para a esquerda são apenas algumas das inovações. Eu, particularmente, utilizo KDE mas, durante o encontro, me surpreendi com o novo GNOME.

Após fui à apresentação “Um olhar sobre a inclusão digital indígena na Amazônia”. Fui ao auditório com a opinião “nossa… agora irão acabar de vez com os índios”. Porém, saí de lá convicto de que, hoje, queiramos ou não, ela é necessária. Fábio Cardoso, o palestrante, disse o seguinte: “Os índios lá assistem televisão. Vêem jornal, novela… eles vêem o computador sendo utilizado. Não fomos nós quem acabamos com a cultura deles. O que fazemos é dar-lhes oportunidade de se utilizar da máquina, pois é isto que eles querem”.

À tarde houve palestras sobre “Software Livre e propriedade intelectual”, onde o Profº Rubens descreveu o livro do Lessing, Cultura Livre, abordando seus principais tópicos. No mesmo horário acontecia uma palestra sobre um projeto muito bonito: “Criação de ebooks em biblioteca popular com o uso de Software Livre”. Joel Moraes e Márcia Lyra mostraram como implantaram na comunidade esse projeto que coloca crianças para escreverem pequenos livros, muito bem cuidados e trabalhados, que são após distribuídos às outras crianças.

Após teve a primeira palestra do Nathan Wilson, da Dreamworks. E teve a minha também, no mesmo horário.

Bem, minha palestra tratava sobre uma análise da interface humano-computador do Firefox, e sua relação com o sucesso do navegador. Acredito que ela foi proveitosa, pois os participantes perguntaram e, depois, houveram trocas de e-mails.

Às 18 horas fui assistir uma palestra inflamada do Sérgio Amadeu, figura carimbada do software livre nacional. Em “Rede Livre”, Sérgio defendeu com garra o princípio da liberdade na rede, mostrou iniciativas que visam sobrepuja-lá e falou bastante sobre a questão da Cultura Livre.

Encerrando o dia, tivemos a segunda palestra do Nathan, onde foram usados aparelhos de transmissão de tradução simultânea.

Na palestra, Nathan falou sobre a importância do Software Livre para a Dreamworks, revelou que a empresa utiliza a distribuição Red Hat e apresentou diversos vídeos de animações atualmente em período de produção.

Uma boa e descontraída palestra, terminando o segundo dia.

Marcações:

2 comentários em “2º dia do II Encontro Nordestino de Software Livre”

  1. Obrigado pela informação, Luciana. Infelizmente, na pressa e no cansaço de passar mais de 24 horas dentro de um ônibus, acabei não apontando o nome de todos os palestrantes, mas eles podem ser encontrados na programação do evento, no site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *